Tratamento da Co-Dependência em Ambulatório

Define-se como uma alteração no padrão de funcionamento, focado nas necessidades e comportamentos de outras pessoas.
Concentrando-se e preocupando-se de tal modo no outro, negligenciam por completo o seu verdadeiro EU (necessidades, desejos, etc…).

Características:

  • Zelar pelos outros – sentem-se responsáveis pelo outro; sentem-se zangados quando essa ajuda não é eficaz; Dizem sim, quando queriam dizer NÃO (facilitam).
  • Baixa auto-estima – Movem-se na culpa e vergonha; sentem-se diferentes do resto das pessoas; Tentam ajudar o outro a viver a vida dele.
  • Repressão – Evitam pensar naquilo que sentem, é mais importante o que os outros sentem/pensam.
  • Obsessão – Transformam a sua preocupação em obsessão, concentrando toda a sua energia nos problemas e comportamentos dos outros.
  • Controle – Tentam controlar através da fragilidade, de ameaças, manipulando e dominando os outros.
  • Fraca comunicação – Evitam pensar e falar no que sentem, é mais importante o que os outros sentem/pensam / falam demasiado.
  • Negação – fingem que as circunstancias não são tão más como parecem.
  • Ausência de limites – continuam a deixar que os outros os magoem; Aumento de tolerância á dor; Tornam-se intolerantes.

Relacionamento de Dependência, Personalidade Dependente

A Co-dependência é um tipo de patologia emocional/afectos e de relacionamentos.
Em Portugal este conceito existe desde o final dos anos oitenta entre os grupos de ajuda mutua e os centros de tratamento que adoptaram os 12 Passos.

De inicio, a descrição deste quadro incluía apenas famílias de pacientes alcoólicos, mas com o tempo, abrange membros de família (ex. mãe, pai, irmã ou irmão, avó ou avô, etc.) onde um dos seus apresenta dependência a substâncias psico-activas (adictivas) lícitas, incluindo o álcool e/ou ilícitas, problemas com o Jogo e em alguns casos, dependentes do sexo e do trabalho (workaholics).

A Co-dependência está associada a varias formas de abuso físico, emocional e em alguns casos sexual. Indivíduos cujas necessidades foram negligenciadas ao longo do seu desenvolvimento.

A maioria dos Co-dependentes sente uma atracção (necessidade em criar um vínculo afectivo) por indivíduos que aparentam, na perspectiva do Co-dependente, necessitar de ajuda; ex. carentes, dependentes, rejeitados, estigmatizados (vítimas de injustiça) e /ou impulsivos.

Caracteriza-se por:

  • Baixa auto-estima e distorção cognitiva;
  • Incapacidade de estabelecer de limites saudáveis nos relacionamentos de intimidade e de compromisso;
  • Incapacidade em reconhecer e compreender a sua própria realidade (negação, racionalização e ilusão);
  • Incapacidade de assumir a responsabilidade em gerir as suas necessidades quando adultos (atitudes, emoções e comportamentos);
  • Tolerância desmedida à dor, à impotência, à rejeição, à agressividade (sem limites);
  • Evoca o amor e a paixão para se aliar a parceiros/as onde a relação é baseada em jogos psicológicos e controlo.
  • Incapacidade de identificar e expressar emoções dolorosas de forma moderada e ou construtiva (ex. raiva, ressentimento, medo, culpa e vergonha).
  • Incapacidade de tolerar a separação, o luto, divórcio ou a frustração dos outros.Preocupação desmedida com aquilo que os outros fazem ou dizem; dependente da aprovação dos outros de forma a criar a sua própria identidade e auto conceito. Se o parceiro está zangado, tudo está mal. Se o parceiro está alegre, tudo está bem.
GAT - Gabinete de Apoio Terapêutico - Apoio na Manutenção da Recuperação