Tratamento da Toxicodependência em Ambulatório

Dependência Química (substâncias licitas e/ou ilícitas) é caracterizada pelos seguintes sintomas:

Aumento da tolerância à substância

Procura da sensação do alivio proporcionada pela substancia (prazer imediato)

A dependência aumenta progressivamente

Remorso e sentimento de culpa persistente

Síndrome da Abstinência, vulgo Ressaca

Geográficas, Relações Significativas (ex. casamento, ou gravidez premeditada cuja intenção obrigar o dependente a responsabilizar-se, neste caso do sexo masculino) para tentar ultrapassar o problema ex. motivação externa.

Perturbação do Humor (depressão)

Perturbação do Sono

Negligência hábitos alimentares saudáveis

Perturbações da Ansiedade

Compulsão nos consumos (dias, semanas, meses seguidos)

Incapacidade de interromper e/ou controlar a progressão da doença (consumo, responsabilidades familiares e sociais)

Drogas prescritas pelo médico ou auto-medicação também se caracterizam

Dependência Química – Drogas

Substâncias Estimulantes

Estimulam o sistema nervoso central (SNC) provocando euforia, diminuição da fadiga, aumenta o desejo sexual (libido) e reduz significativamente o apetite. Após este período de “alta” a necessidade em dormir pode aumentar desproporcionalmente, interferindo nos padrões normais de sono. Estima-se que 60 a 80% dos consumidores de cocaína recorrem às anfetaminas, simultaneamente com o álcool. Estas substâncias são susceptíveis de abuso e dependência. Algumas destas drogas, principalmente,  “ da rua” – ilícitas, são adulteradas. Existe também o risco associado à Adicção Cruzada (dependência de substancias estimulante concomitante com substancias depressoras)
Anfetaminas  – “Eleita com frequência”
Cocaína  – “Eleita com frequência” – Ilícita
Crack  – “Eleita” – Ilícita
Cafeína  – “Eleita com frequência”
Nicotina  – “Eleita com frequência

Referencias: Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (DSMIV) e Abuso de Álcool e Drogas – Marc A. Schuckit (Climepsi)

Substâncias Depressoras

Proporcionam uma sensação de relaxe (ex. bem estar, alivio, controlo, tranquilidade) no Sistema Nervoso Central (SNC) e diminui a percepção da dor. As substâncias depressoras incluem grande variedade de medicamentos (benzodiazepinas – drogas licitas). Podem ser consumidas concomitante com outras substancias numa tentativa para alterar e/ou potenciar alguns dos seus efeito. A principal fonte de recurso é a própria prescrição médica. Esta medicação também consumida (uso concomitante) com o álcool. Todos os depressores são potencialmente susceptíveis de abuso e dependência (física, mental e emocional). Existe também o risco associado à Adicção Cruzada (dependência de substancias depressoras concomitante com substancias estimulantes e alucinógenicas):
Heroína  (analgésico) – “Eleita com frequência”. Ilícita
Morfina  (analgésico) –
Codeína  (analgésico)
Ópio  (analgésico) – Ilícita
Ansioliticos, Hipnóticos, Analgésicos e Benzodiazepinas (ex. valium) – “Eleita com frequência”. Lícita

Referencias: Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (DSMIV) e Abuso de Álcool e Drogas – Marc A. Schuckit (Climepsi)

Substâncias Alucinogénicas

Provocam alteração do nível da consciência, do humor e da percepção da realidade. Capazes de induzir alucinações. Estas drogas podem provocar sensações anormais de natureza predominantemente visual (ilusões e alucinações). A maioria destas drogas são adulteradas cujo fim é o lucro da venda. Podem gerar dependência psicológica, ex cannabinoides (haxixe e marijuana) e desencadear surtos psicóticos em indivíduos vulneráveis a esta substancia (ex. THC).

 

Haxixe  (resina) – componente tóxico activo THC (delta9-tetra-hidrocannabinol)  são uma “porta” para outras drogas psicoactivas – “Eleita com frequência”. Há 20 anos os níveis de THC presentes na substancia eram de 7% hoje em dia são de 13%. É a substancia ilícita mais consumida em Portugal.

Marijuana  (folhas) –  componente tóxico activo THC (delta9-tetra-hidrocannabinol) são uma “porta” para outras drogas psicoactivas – “Eleita com frequência”. Ilícita

LSD (Dietilamida do Acido Lisergico). Ilícita

Ecstasy –  MDMA (metilo dioximetanfetamina) – Droga psicoactiva associada à vida nocturna e “festas” – “Eleita com frequência”. Ilícita. Pode gerar dependência psicológica e desencadear surtos psicóticos (descompensação) em indivíduos vulneráveis a esta substancia

Delirantes  – provocam confusão mental e depressão generalizada do sistema nervoso central (SNC). Estes produtos são populares, entre os seus utilizadores, porque podem provocar euforia e facilmente disponíveis (a maioria dos lares tem estas substancias), baratas, legais e fáceis de esconder. Os solventes são consumidos entre os indivíduos no inicio da adolescência – “Moda”.

Aerossóis (fréon, bromodiclorofluorometano, extintores de fogo, butano, tolueno e outros

Solventes – diluentes, tira-nódoas (tetracloroetileno, tricloroetileno, derivadops do petróleo, tetracloreto de carbono, acetona, éter)

Colas (tolueno, nafta, acetatos, hexano, benzeno, xileno, clorofórmio e outros hidrocarbonetos fluorados)

Referencias: Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (DSMIV) e Abuso de Álcool e Drogas – Marc A. Schuckit (Climepsi)

Substâncias Lícitas

(prescritas pelo medico ou administradas através da auto medicação – Benzodíazepinas) Substancias psico-activas alteradoras do humor e geradoras de dependência física, mental, emocional. É caracterizada por padrões de comportamentos repetitivo, pela incapacidade de controlar (Uso continuo apesar das consequências adversas), aumento da tolerância ao efeito produzido pelas substâncias (Consumo frequente e progressivo das quantidades (+) de forma a obter o efeito desejado) e o Síndrome da Abstinência (Este fenómeno ocorre quando se interrompe o abuso/dependência ou os efeitos desejados não são conseguidos – aumenta a dose)
Atenção: O risco de sobredosagem (Overdose) é elevado.
Dependência de Substâncias ilícitas: Substancias psico-activas alteradoras do humor e geradoras de dependência física, mental, emocional). A adicção é caracterizada por padrões de comportamentos repetitivo, pela incapacidade de controlar (Uso continuado apesar das consequências adversas), aumento da tolerância ao efeito produzido pelas substancias (Consumo continuado e progressivo das quantidades de forma a se obter o efeito desejado), e o Síndrome da Abstinência (Este fenómeno ocorre quando se interrompe o abuso/dependência ou os efeitos desejados não são conseguidos – aumenta a dose)

Atenção: Estas substâncias ilícitas (comercializadas na rua) são adulteradas, isto é, são adicionadas outras substâncias desconhecidas de forma a aumentar o lucro da venda. O risco de sobre dosagem (Overdose) é elevado

Referencias: Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (DSMIV) e Abuso de Álcool e Drogas – Marc  A. Schuckit (Climepsi)

GAT - Gabinete de Apoio Terapêutico - Apoio na Manutenção da Recuperação